Venha participar do nosso evento.

Evento gratuito!

Blog

E quando o trabalho exige demais?

Burnout. Ansiedade. Depressão. Essas palavrinhas que sinalizam um comprometimento da saúde passaram a ser ainda mais comuns desde que a pandemia obrigou-nos ao distanciamento social. Naturalmente que a própria situação sanitária piorou o quadro da saúde mental de todas as pessoas, mas, para além disso, para outras, o trabalho passou a exigir ainda mais do que antes.

É o caso dos professores. As aulas online parecem tirar a energia de quem estava acostumado ao contato direto, ao olho no olho. E, se agora é hora de voltar ao presencial, enquanto muitos festejam, outros se lamentam. Isso porque nem sempre o ambiente de trabalho é um lugar seguro e saudável. Em muitas empresas – e, infelizmente, em algumas escolas – o ambiente é hostil. Assim, voltar a ele pode gerar muita aflição.

Ao pensarmos em um ambiente saudável para o aprendizado, supomos que ele também será saudável para o trabalho. Entretanto, nem sempre é assim. Diretores e coordenadores que impõem suas decisões; falta de espaço para que o professor possa colocar as suas próprias opiniões; medo de se expressar; feedbacks equivocados; reclamações constantes dos colegas e outros fatores podem tornar o trabalho tenso. E é nesse momento que, mesmo sem querer, carregamos as sombras do trabalho conosco, durante e depois do expediente.

Ansiedade, noites mal dormidas, desencorajamento para fazer melhor e diferente.  Tudo isso pode minar o desempenho de um professor. Para não chegar a esse limite nada saudável, é importante estar atento a alguns sinais para que possamos notar a tempo o que acontece e mudar a rota, se for possível.

 

Ambiente

Um ambiente emudecido, em que as pessoas temem dar suas opiniões, pode ser um sinal de que ali as pessoas se regem pelo medo. E isso pode ser frustrante.

 

Turnover

A cada semestre você encontra muitas caras novas na sala dos professores? A alta rotatividade pode ser um indicativo de que aquele não é um ambiente seguro para trabalhar.

 

Feedback

Ele deve ser feito de maneira assertiva e franca, para que o professor se sinta encorajado a melhorar. Se o feedback for sempre depreciativo, pode ser um indício de falta de respeito com o conhecimento do profissional.

 

Relações

Se você não consegue confiar em seus colegas de trabalho e fazer amigos, isso pode ser sinal de que aquele não é um ambiente em que você possa florescer.

 

O que fazer?

Se você detectar que aquele não é um ambiente no qual se sente confortável para realizar suas atividades profissionais, tente, primeiramente, conversar com alguém e encontrar saídas para reverter essa situação. Evite as pessoas que considera mais “tóxicas” e aproxime-se de quem lhe faz bem. Também neste contexto, cuidar de si mesmo é fundamental. Tente manter sua saúde mental em dia, incluindo em seu tempo de lazer atividades que podem fazer bem: leitura, música, meditação. Reflita sobre tudo o que se passa ao seu redor sem assumir uma atitude reativa. Converse com outras pessoas para tentar encontrar uma saída criativa para aquela situação.

E acredite: é possível encontrar (e criar) um ambiente mais acolhedor onde o trabalho é valorizado e as pessoas, respeitadas.

Estamos torcendo por você !

Gostaria de adotar essa prática em sua escola?
Veja aqui como a MindKids pode te apoiar!