Venha participar do nosso evento.

Evento gratuito!

Blog

Lei coloca a saúde mental nas escolas em pauta

Desde o começo deste ano, a promulgação da lei 14.819 trouxe uma grande contribuição para a questão da saúde mental nas escolas públicas e privadas do Brasil. A Lei institui a Política Nacional de Atenção Psicossocial nas Comunidades Escolares, um grande avanço para um debate que, ano a ano, ganha mais relevância.

Afinal, para que o ambiente escolar seja propício ao aprendizado, é preciso que ele seja acolhedor para todos e promova segurança aos estudantes e aos professores. A lei 14.819, que data de 16 de janeiro deste ano, é uma “estratégia para a integração e a articulação permanente das áreas de educação, de assistência social e de saúde no desenvolvimento de ações de promoção, de prevenção e de atenção psicossocial no âmbito das escolas”.

Ou seja, a proposta é que haja um trabalho multi e interdisciplinar para que a saúde mental de toda a comunidade escolar (professores, alunos, funcionários, pais e responsáveis)  possa ser olhada com mais atenção e de forma sistematizada.

Além de promover a saúde mental e a atenção psicossocial à comunidade escolar, por meio de atendimentos, palestras e outras ações, a lei 14.819 também pretende “informar e sensibilizar a sociedade sobre a importância de cuidados psicossociais na comunidade escola” e “promover a formação continuada de gestores e de profissionais das áreas de educação, de saúde e de assistência social no tema da saúde mental”.

Um cenário que tem tudo para melhorar a qualidade de vida, de ensino e de aprendizado dentro do ambiente escolar.

 

Iniciativas

Muitas escolas, públicas e particulares, não esperaram a lei ser promulgada para começar a colocar o assunto em pauta. Mas, o fato é que a lei 14.819 deve estimular as escolas que ainda não tinham nenhuma ação nesse sentido a realizar atividades que possam contribuir com a atenção psicossocial aos alunos, professores, funcionários, pais e responsáveis.

Isso inclui tratar das relações interpessoais e de temas espinhosos, como violência (bullying), ansiedade, depressão e outros transtornos que vêm se agravando nos últimos anos, inclusive devido à pandemia de covid-19.

Dentre as iniciativas, existem projetos de autoconhecimento, ações para que alunos e professores aprendam a lidar com conflitos cotidianos que acontecem no ambiente escolar e com os próprios sentimentos.

Nesse cenário, o incentivo à prática de Mindfulness ganha destaque. Afinal, os benefícios são muitos: desde o aumento do foco e da atenção até a diminuição da ansiedade, passando por aspectos que interferem positivamente no ambiente e na socialização, como incremento da empatia e da compaixão pelo outro.

A prática de Mindfulness incentiva a atenção plena à respiração, a consciência corporal, a autocompaixão e cria um espaço interno consciente, ao levar os praticantes a compreenderem que os pensamentos vão e vêm.

Em outras palavras, ao acolher pensamentos, sentimentos e emoções, Mindfulness permite que se respire antes mesmo de se tomar qualquer atitude, tornando uma “reação” (que pode não ser benéfica) em uma ação consciente.

Isso melhora o relacionamento entre as pessoas e torna o ambiente escolar mais harmonioso. Afinal, como ensinou Paulo Freire, “não se pode falar de educação sem amor”.

 

Procurando por algo?

Gostaria de adotar essa prática em sua escola?
Veja aqui como a MindKids pode te apoiar!